TRICOMONÍASE | DST | COMPLICAÇÕES, TRATAMENTO E PREVENÇÃO







Complicações

  • A Tricomoníase favorece a transmissão do HIV, devido as lesões e sangramento da mucosa e estimulação da reação  inflamatória;
  • Nascimentos prematuros;
  • Ruptura prematura de membrana amniótica;
  • Endometrite pós parto;
  • Bebês de baixo peso ao nascimento;
  • Morte neonatal;
  • Predisposição das mulheres à Doença Inflamatória Pélvica, câncer de colo de útero e infertilidade;
  • Nos homens pode causar prostatite e infertilidade.

 

Tratamento

 O tratamento é realizado com quimioterápicos nitroimidazólicos, como metronidazol ou tinidazol, administrado via oral em dose única. Esses medicamentos possuem um potencial mutagênico e carcinogênico, sendo contra indicado para o primeiro trimestre da gravidez. Na gravidez, recomenda-se o uso de clotrimazol tópico, o qual apresenta uma eficácia de cura em 40-60% dos casos.

Os quimioterápicos nitroimidazólicos podem causar como efeitos colaterais: cefaléia, náusea, boca seca, e gosto metálico, e muito raramente convulsões, perda de coordenação motora e ataxia.

Durante o tratamento evitar a ingestão de álcool, pois ocorre interação levando a náuseas e vermelhidão da pele, redução no número de glóbulos brancos e, nas mulheres, aumento das chances de infecções vaginais por leveduras (candidíase genital). Também evitar a administração de os anticoagulantes orais.

Os parceiros sexuais também devem ser tratados, a fim de evitar re-infecção.

Até que se tenha certeza da cura, os pacientes infectados devem usar preservativos em todas as relações sexuais.

A tricomoníase não confere imunidade permanente, podendo com isso, haver reinfecções.

Prevenção

 A única maneira de prevenir a transmissão da tricomoníase é realizar o sexo seguro, através de adequada higiene genital, uso de preservativos masculino ou feminino e redução dos parceiros sexuais.

Classifique este artigo, é muito importante para nós redatores.